5 de out de 2010

Windows vs Linux!!


Qual Sistema Operacional vencerá a luta pela supremacia total no coração dos usuários?

Até pouco tempo atrás, o Windows era preferido pelos usuários e considerado melhor que o Linux. O Linux era um bicho de sete cabeças capaz de ser operado somente por nerds e hackers, mas hoje tudo mudou. Hoje os dois estão "pau-a-pau" e da mesma forma que há os que preferem o Windows, também há os que preferem o Linux. Ambos possuem interface gráfica intuitiva, que, bem configurada e rodando sobre hardware compatível, fornecem usabilidade equivalente para a grande maioria das atividade de informática atuais.

Não há como dizermos qual é o melhor ou o pior. Windows vs Linux, este é um tipo de escolha em que hora preferimos um e hora preferimos outro. Não importa qual dos dois é melhor. No fim das contas, a decisão sobre qual sistema operacional vai ser mais adequado depende, principalmente, do tipo de usuário. Usuários casuais talvez prefiram a tradição e a popularidade do Windows. Talvez esta também seja a preferência de jogadores. Usuários com nível técnico mais alto talvez prefiram o Linux.


Qual escolher? Como adiquirí-los?

A aquisição do Linux é muito simples. Usuários de conexão de banda larga podem baixar gratuitamente qualquer uma das dezenas de versões disponíveis, e aqueles que ainda utilizam linha discada certamente podem encontrar na banca mais próxima de sua casa uma ou outra revista que traz consigo, sem custo adicional, um CD com uma distribuição do sistema operacional em sua versão integral.

O Windows, por outro lado, é vendido normalmente, como um software qualquer. O custo, relativamente alto, é muito pouco atraente para usuários iniciantes. Redes de lojas que comercializam computadores estão, cada vez mais, optando por disponibilizar o Linux em suas máquinas, para reduzir seus preços e atrair mais clientes.

O primeiro aspecto a ser avaliado pelo usuário do Linux é a distribuição adequada às suas intenções. Existem dezenas de opções, desde aquelas mais amigáveis e simples, como Kurumin e Ubuntu, feitas para quem não tem intimidade com o ambiente Linux, até as mais complexas, como Debian e Slackware, orientadas para usuários com conhecimentos técnicos profundos. Veja quais são as distribuições Linux clicando aqui.


Facilidade de uso:

Windows vence!!

Quem nunca experimento o Linux, fala sem conhecer que ele é muito complicado de se lidar. No começo isso poderia ser verdade, mas agora o Linux tem interface gráfica dita por alguns como sendo melhor do que a do Windows, com telas 3D, barras de menus e tudo mais. Porém por tradição, quase que 100% dos usuários aprendem primeiro a usar o Windows e não querem migrar para o Linux pois terá que reaprender algumas coisas. A Microsoft não querendo ficar para trás, realizou vários avanços e mudanças que o tornaram o sistema muito mais fácil de usar do que o Linux.

Código aberto vs Código fechado:


Linux vence (pelo fato de ser grátis, porém há algumas desvantagens)!!

Como todos sabem, o Windows é um Software Proprietário e pago, seu uso é restrito à licença, para adquiri-lo, você terá que desembolsar cerca de R$ 300,00 a R$ 700,00 de acordo com a versão desejada. O Linux é um Sofware Livre e grátis, você pode compartilhar à vontade.

Sendo assim, no Linux você tem acesso completo ao código fonte. Ele está sob a GNU Public License (GPL). Qualquer usuário pode acessar e alterar o código do kernel do sistema. Você pode baixar uma simples cópia de uma distribuição Linux e instalar em quantas máquinas você quiser.

Com a licença Microsoft, você não pode acessar o código fonte e configurá-lo, nem instalá-lo em vários computadores. Isso não é possível pois seu código fonte não pode ser visto pelo usuário. Você é obrigado a usar apenas o número de licenças compradas.

Suporte:

Windows vence!!

Com o Linux, você tem suporte em um grande número de fóruns, buscas online e sites dedicados sobre o assunto. Outra forma de suporte é comprar contratos de suporte com algumas grandes companhias de Linux, como a Novell e a Red Hat. Então, se você quer suporte gratuito no Linux, não pode ter pressa, pois quando você reporta uma dúvida em um fórum de discussão, não há previsões para sua pergunta ser respondida, podendo nunca ser respondida.

Do outro lado da moeda está o Windows. Com ele, além de você ter suporte em fóruns que abordam o sistema, você também pode contatar o suporte da Microsoft. De muitas pessoas que contrataram o suporte pago do Linux, ou o suporte pago da Microsoft, segundo opiniões de usuários, o suporte da Microsoft é melhor.

Compatibilidade com Hardware:

Windows vence!!

Anos atrás, se você pretendia instalar Linux, você teria que escolher a dedo todo o equipamento do seu computador, ou não teria uma instalação 100% funcional. Hoje, isto mudou. Claro, ainda existem algumas exceções, mas elas são cada vez mais raras.

Com o Windows, você sabe que cada parte do hardware irá funcionar no seu sistema, contanto que você tenha o driver correto. Você então pode descansar tranquilo sabendo que aquela placa de vídeo de última geração provavelmente vai funcionar no máximo de sua capacidade.

OBS: O Windows exige um pouco mais de hardware do que o Linux, isto é, requer hardwares um pouco mais potentes. O Linux funciona em computadores Pentium-100 até os Clusters de Supercomputadores.

Linha de comando:

Linux vence!!

Falou em linha de comando já vem a palavra Linux na cabeça. Não é por mal, pois sua linha de comando será sempre uma ferramenta imprescindível para propósitos administrativos. É difícil imaginar uma máquina com Linux sem a linha de comando. Se você tem um Linux com interface gráfica, você pode usar o Linux por anos sem jamais tocar na linha de comando, assim como você faz no Windows. E embora você possa utilizar a linha de comando no Windows, ela não será tão poderosa quanto é no Linux. A Microsoft tende a esconder o prompt de comando do usuário. A menos que você acesse o “executar” e entre com “cmd”, o usuário provavelmente nem saberá que a linha de comando existe no Windows.

Instalação

Windows vence!!

Ambos não são muito simples de serem instalados e configurados por usuários totalmente leigos, mas, considerando que a instalação é menos de 0,3% do tempo que o usuário vai passar diante da máquina, isto não chega a ser problema.

Hoje, a diferença é pequena, pois o Linux também pode ser instalado como o Windows, ou seja, através de um CD ou DVD de instalação. Já nos primórdios do Linux, sua instalação realmente era um processo complexo, ainda mais se o usuário possuía alguns componentes de hardware diferentes do padrão ou produtos com dispositivos fechados. Um exemplo de distribuição que corre num CD é o Kurumin Linux, criado por Carlos E. Morimoto, baseada no Knoppix.

Grande parte das distribuições do Linux são instaladas a partir de um CD de forma simples e rápida, assim como é no Windows. Ele também possui uma barra de progresso para informar ao usuário o andamento do processo que, diferente do Windows, costuma ser bem rápido. Em suma, para instalar o Windows é mais simples, o usuário não precisa escolher muitos campos ou completar muitas opções porém é mais demorado.

Programas:

Windows vence!!

O Linux tem uma grande variedade de programas disponíveis, utilitários e jogos. No entanto, o Windows tem uma seleção muito maior de software disponível devido a maior quantidade de usuários. Embora o Windows tenha softwares, utilitários e jogos de graça, a maioria dos programas custam entre US$ 20,00 e US$ 200,00 por cópia. Já no Linux, os softwares são freeware e/ou código-fonte aberto, mesmo programas complexos como o Gimp, OpenOffice, StarOffice, e o Wine estão disponíveis gratuitamente ou a baixo custo para o Linux.

O Linux possui um diferencial, um sistema de gerenciamento de pacotes, que gera uma lista dos programas mais utilizados por usuários ao redor do mundo, e permite sua instalação de forma automática e simples.

Segurança:


Linux vence!!

Windows é alvo de mais de 100.000 vírus e parasitas virtuais e o Linux é praticamente imune à vírus. Isso ocorre por vários motivos, o principal é o fato de o Linux ter código aberto, então várias pessoas arrumam os problemas, contribuindo para que ele apresente um número muito menor de falhas de segurança, o que significa menos brechas a ser exploradas. Outro fato é que o grande alvo de quem desenvolve softwares maliciosos são os usuários e, como o Linux tem menos usuários, torna-se menos atrativo para os criminosos virtuais.

Na Microsoft, primeiro alguém precisa detectar a brecha no sistema e resolver enviar o problema para a Microsoft. Após receber mais do que uma queixa o suporte procura verificar o que está ocorrendo. Após a constatação da falha, finalmente se começa a trabalhar na solução.

No entanto, a própria Microsoft disponibiliza uma série de ferramentas de proteção (antivírus, firewall, etc.) e, várias outras companhias desenvolvem e atualizam bases de dados de programas para garantir a segurança do SO, inclusive com versões gratuitas para tal.

O Linux ainda possui outro diferencial, seus programas são executados em modo de usuário e não de administrador. Assim, se acontecesse de um usuário pegar vírus, este não se espalharia pelo sistema, afetando apenas os programas que o próprio usuário instalou, enquanto o sistema permanece intacto.

Drivers:

Linux vence!!

Diferente do Windows, ao terminar de instalar uma distribuição do Linux, você já possui todas as ferramentas básicas instaladas para poder usar seu PC. Você não passa por aquele problema de sair atrás de CDs atrás de drivers e programas.

O Windows costumava terminar a instalação completamente nú, fazendo-nos ir atrás dos drivers. Entretanto, com o lançamento do Windows 7, a Microsoft reverteu parte disso e agora após a instalação, o Windows tenta reconhecer os dispositivos presentes no computador e instalá-los para o usuário. Ainda assim alguns podem não ser reconhecidos e instalados.

Se algo não está bom, o usuário tenta reverter isso. Hoje em dia, há DVDs do Windows que usuários avançados criam, já com todos os drivers necessários para a pós instalação do Windows. Sendo assim, depois de instalar o Windows, os drivers são instalados automaticamente.

Curiosidades:

- O Windows exige mais reboots e reformatações devido à instalação de novos programas e à instabilidades do sistema e aquelas induzidas por vírus.
- O Linux foi projetado para não necessitar de reboot (quando instala um programa não precisa reiniciar a máquina) e muito menos reformatações periódicas

- O Windows é menos usado em servidores e mais usado em desktops.
- O Linux é mais usado em servidores e menos usado em desktops, pois é mais seguro.

- O Windows não dá muita margem ao usuário para que este adquira um profundo conhecimento do sistema, e nem o usuário vai conseguir muita vantagem se tentar fazer isso pois o sistema é fechado.
- O Linux dá total liberdade ao usuário para que este obtenha total conhecimento do sistema de forma a adequá-lo às suas necessidades específicas, podendo modificá-lo à vontade e ir fundo em suas entranhas para ter certeza de que o sistema o obedece 100%.

- O Windows é desenvolvido por um número limitado de técnicos, em ambiente privado corporativo.
- O Linux por ser Open-Source (código aberto), é desenvolvido por um número ilimitado de colaboradores, a chamada comunidade global do software livre, onde todo e qualquer problema por mais complexo que possa parecer, acaba se transformando num problema trivial, por isso o Linux tem menos Bugs.

Tire sua própria conclusão e não esqueça de comentar abaixo!!


FONTE: WinxLinux, Baixaki e Keblogeesse (imagem do post).

Poderá também gostar de:
2leep.com

2 comentários:

carlos66ca disse...

Ótimo Post......
Na minha Opnião o Melhor """Linux"""
dizem que é dificil mecher,
bom... no começo é!
mas depois vai se acostumando!
afinal não tem essa de virus
malware. etc
e é super levinho!
=)
Abraços......

Lívia disse...

Sou mais Microsoft.

Postar um comentário

Obs: Comentários com intuito de menosprezar nosso trabalho serão excluídos!